Fórum Aves
Gostaria de reagir a esta mensagem? Crie uma conta em poucos cliques ou inicie sessão para continuar.

Câmaras municipais desperdiçam água

Ir em baixo

Câmaras municipais desperdiçam água Empty Câmaras municipais desperdiçam água

Mensagem por Andorinha-dáurica Qui Jun 28, 2007 3:02 am

Estudo da Deco
Câmaras municipais desperdiçam em média quase 30 por cento da água
27.06.2007 - 14h16 Lusa


Mais de um quarto da água em distribuição na rede pública do país é desperdiçada, registando-se uma média de 28,5 por cento de fugas, apurou um estudo da revista "Pro Teste", da associação Deco, a que a Lusa teve acesso.

O estudo mostra que as perdas de água na rede pública de abastecimento variam entre dois por cento em Mondim de Basto (com o sistema mais eficiente do país) e 54 por cento no Alandroal (no topo da lista do desperdício).

"Actualmente, por cada cem litros de água consumidos, apenas 58 são necessários para o fim desejado, o que mostra que a implementação do Programa Nacional para o Uso Eficiente da Água está muito longe de ser conseguida", disse à Lusa a coordenadora do estudo, Sílvia Menezes.

O Programa Nacional para o Uso Eficiente da Água, aprovado em 2005, pretende atingir uma eficiência de utilização de 80 por cento no consumo urbano em dez anos, estando a sua concretização a cargo dos ministérios do Ambiente e das Obras Públicas.

Inquérito respondido por 197 câmaras

O estudo — que será publicado na próxima edição da revista editada pela Deco — foi feito com base nas respostas dadas por 197 das 305 câmaras municipais de todo o país.

Apenas metade dos municípios que responderam está a aplicar pelo menos uma das 87 medidas previstas no Plano Nacional para o Uso Eficiente da Água.

Dos municípios que afirmam estar a tomar medidas quanto às fugas, a mais comum é a substituição de condutas antigas.

Os dados do estudo mostram também que muitas autarquias afirmam desconhecer a percentagem de fugas na sua zona, enquanto outras indicam o valor mas remetem-se ao silêncio quanto à aplicação de mecanismos de diminuição de desperdício.

Muitas autarquias desconhecem ainda a forma como a água é gasta, não registando usos isentos de pagamento, como a rega de espaço de piscinas municipais ou até dos seus edifícios.

A Deco conclui que as grandes falhas na gestão dos recursos hídricos por parte das autarquias portuguesas centram-se sobretudo no excesso de fugas de água e na pouca divulgação dos resultados das análises junto dos munícipes.

Quanto à qualidade, o inquérito detectou análises em falta, assim como incumprimento nos valores máximos permitidos de contaminantes e tratamento deficiente das águas residuais.

Governo deve regulamentar uso de dispositivos eficientes

Para obviar a esta situação de descontrolo, a Deco apela ao Ministério da Economia que regulamente "com urgência" o uso obrigatório de dispositivos eficientes (autoclismos, torneiras e chuveiros) em construções novas ou reabilitadas, definindo volumes máximos de consumo de água por equipamento.

"Compete ao Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações criar legislação que impeça a venda de dispositivos não eficientes e criar incentivos fiscais para substituir equipamentos por outros mais eficientes", lê-se no estudo.

Os resultados do estudo foram comunicados à Associação Nacional dos Municípios Portugueses.

Fonte: http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1297861
Andorinha-dáurica
Andorinha-dáurica
Moderador

Número de Mensagens : 105
Data de inscrição : 16/06/2007

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão neste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum